Majeski critica descaso da Samarco e do Governo com a poluição do Rio Doce



O deputado Sergio Majeski (PSDB) ressaltou durante a sessão desta segunda-feira (28) a poluição do Rio Doce provocada pelo recebimento de rejeitos de minério após o rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, Minas Gerais, ocorrida em novembro do ano passado. A barragem era de responsabilidade da mineradora Samarco, pertencentes a Vale e a BHP Billiton.

Para comentar o assunto, o parlamentar mencionou o relatório o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente, que comprova a contaminação dos peixes do Rio Doce com metais pesados. Segundo matéria do jornal A Gazeta, publicada nesta segunda (28), os relatórios apontam que a contaminação por metais de alguns peixes ultrapassa em até 140 vezes o limite permitido por lei.

“Praticamente todas as espécies de peixes e crustáceos examinados até agora estão com níveis de arsênio, de cádmio, de chumbo infinitamente acima daquilo que é tolerável pelos organismos nacionais e internacionais. E não só eles, a água também”, destacou.

Majeski lembrou ainda da população ribeirinha, além dos moradores da foz do Rio Doce, continuam enfrentando graves problemas devido à lama de rejeitos de minério. Vale lembrar que a água para consumo humano em alguns municípios capixabas era captada exclusivamente desse rio.

“O descaso parece permanente. O acordo fechado entre a Samarco, o Estado de Minas e o Espírito Santo parece que resolveu todos os problemas, e não resolveu absolutamente nada”, afirmou o deputado.

Assessoria de Imprensa Fiorella Gomes

Fotografia

Divulgação

#meioambiente #riodoce #lama #samarco #poluição #rejeitosdeminério #discurso #majeski #vale #bhpbilliton #mariana #minasgerais #barragem

0 comentário