Majeski lamenta falta de segurança em Santa Maria de Jetibá durante audiência



O aumento da violência no município de Santa Maria de Jetibá foi tema de audiência pública que contou com a participação do deputado estadual Sergio Majeski (PSDB), nessa quinta-feira (27), nascido no município. O debate foi provocado pela Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa e aconteceu na Câmara de Vereadores do município.

Nos quatro primeiros meses deste ano, já foram registrados na cidade quatro homicídios e 11 prisões em flagrante. Segundo o secretário de Planejamento de Santa Maria de Jetibá e presidente do Conselho Municipal de Segurança, Rafael Moreira, há um crescimento percentual elevado em comparação com anos anteriores. Durante todo o ano de 2016, foram seis homicídios e 39 prisões em flagrante.

Ainda segundo Rafael, o número de policiais militares e civis é insuficiente para atender a quase 40 mil habitantes: são apenas sete. Ele reivindicou um batalhão para o município ou pelo menos um plantão permanente de um batalhão. "O hábito de andar na rua tranquilamente, deixar as portas de nossas casas abertas, isso acabou. Isso não volta mais”, afirmou o secretário de planejamento.

Diante da realidade que vive o município e a importância do debate, a ausência do secretário de Estado de Segurança Pública, André Garcia, foi sentida pelo deputado Sergio Majeski, que lembrou não o ter visto em nenhuma outra audiência pública. "Os secretários de estado, no geral, não comparecem as reuniões", observou.

Nascido no município, o deputado estadual lembrou que a cidade costumava ser pacata. "Há 15, 20 anos atrás, você podia deixar as portas das suas casas abertas. Você podia esquecer uma bicicleta encostada no muro fora de casa, que no outro dia encontraria ela no mesmo lugar. Mas, são águas passadas. Nós não vamos ver isso novamente, mas precisamos amenizar essa situação", ponderou Majeski.

O número baixo de policiais no município foi destacada pelo parlamentar, que frisou ser menor do que a segurança pessoal de algumas autoridade. “Ninguém vai combater ou acabar com a violência trazendo apenas batalhão e mais policiais, mas isso é o que tem de ser feito emergencialmente agora”, opinou.

Majeski é autor de indicações ao Governo para instalação de posto policial nas regiões de Caramuru e São João do Garrafão, em 2016. Neste mês, ele fez nova indicação, dessa vez para instalação do posto em Rio Possmozers, todos distritos do município de Santa Maria de Jetibá. Além disso, o deputado também indicou ao Executivo Estadual o aumento do efetivo de policiais na cidade.

Economia local

Durante a audiência pública, os relatos foram de que o crime organizado se infiltrou na população distribuindo drogas e trazendo consigo a violência. A principal razão para o aumento dos homicídio, segundo os participantes, é a circulação de riquezas. Isso porque Santa Maria de Jetibá é o maior fornecedor de hortifrutigranjeiros à Ceasa, destacando-se como o quinto município em contribuição do ICMS entre os produtores do interior do Espírito Santo.

Com isso, um dos mais atingidos pela insegurança que acomete a cidade são os comerciantes. Segundo o presidente da Câmara de Vereadores do município, Adilson Spíndula, os assaltos são constantes contra agricultores que levam diariamente suas mercadorias para a Ceasa.

Assim como o chefe do Legislativo Municipal, o presidente da Associação Comercial de Santa Maria de Jetibá, Fredy Berg, solicitou maior planejamento e policiamento ostensivo para contornar a situação.

"Ficamos tristes por isso acontecer com o maior PIB agrícola do Estado”, disse Berg, que atua como bombeiro voluntário. O servidor (policiais) existe, falta ser deslocado para o município", destacou.

Ele lembrou que, embora em tamanho territorial o município vizinho, Santa Leopoldina, seja menor, possui um efetivo policial maior.

Videomonitoramento e delegacia de mulheres

O aumento do efetivo policial não foi a única demanda levada à audiência pública, assim como os relatos de assaltos não foram os únicos problemas relatados. O aumento da violência doméstica tem sido considerável, o que levou a secretária municipal de Educação e integrante do Conselho de Mulheres, Beatriz Elias, solicitar a instalação de uma Delegacia de Mulheres na cidade. Já o vereador Arlindo Repke, defendeu a instalação de câmaras de videomonitoramento na principal avenida da cidade.

Mesa

A mesa da audiência pública foi composta pelo presidente da Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa, Gilsinho Lopes (PR), o deputado Sergio Majeski; o prefeito de Santa Maria de Jetibá, Hilário Roepke, e seu vice, Florentino Guilherme; o presidente da Câmara Municipal, Adilson Spíndula; e o comandante do destacamento da Polícia Militar de Santa Maria, Rômulo Castro Torre Costa.

Participaram ainda o comandante do 8º Batalhão, major Sérgio Luiz Anachini; o superintendente Landolpho Lintz, representando o secretário de Estado da Segurança; o delegado de Polícia Diego Platyny Lima Bermond; o juiz de Direito da 2ª Vara da Comarca de Santa Maria de Jetibá, Salin Pimentel Elias; e o promotor do Ministério Público Estadual Helder Magevski de Amorim.

- Confira o vídeo completo da audiência pública


Assessoria de Imprensa

Fiorella Gomes

#audiênciapública #SegurançaPública #SantaMariadeJetibá #SergioMajeski #ComissãodeSegurança

Especiais

Clipping

Deputado Sergio Majeski
Avenida Américo Buaiz, 205, Gab. 602
Enseada do Suá, Vitória | Espírito Santo | Brasil
29.050-950

Telefone: 27 3382-3582
E-mail: sergiomajeski@al.es.gov.br

Contato

© Sergio Majeski 

Todo o nosso material é livre para compartilhamento, reprodução e divulgação, desde que seja citada a fonte: sergiomajeski.com.br

Planejamento Estratégico, Site, Planejamento Digital  - Thaís Aguiar

Política de privacidade

  • whatsapp_edited
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram