Comissão de Ciência e Tecnologia: professores falam dos problemas da escola Arnulpho Mattos



A Comissão de Ciência e Tecnologia, presidida pelo deputado Sergio Majeski (PSDB), recebeu nesta terça-feira (17), representantes Escola Estadual de Ensino Médio Arnulpho Mattos. A unidade é a primeira em ensino integrado e técnico do Brasil, fundada em 1971, e está localizada no Bairro República, em Vitória.

Durante a sessão, foram destacadas as atividades da unidade escolar, que tem 1.500 alunos, e suas principais dificuldades. Entre elas, a carência de professores efetivos: dos 110 profissionais, cerca de 70% são contratados por designação temporária (DT).

“Há uma grande rotatividade de professores. Na área técnica, temos apenas dois que são efetivos. Isso gera uma instabilidade até emocional”, afirmou o professor Dorival Rosa Brito.

Já a professora Marcia Ming, coordenadora do curso técnico de administração, reivindicou autonomia para a contração dos professores. “Porque o curso acaba sendo prejudicado. As pessoas não conseguem dar continuidade ao que foi feito no ano anterior. Isso precisa ser repensado”, afirmou.

A quantidade insuficiente de disciplinas técnicas, a falta de livros técnicos e de recursos audiovisuais que atendam às atuais exigências tecnológicas vigoram entre os problemas da unidade. A falta de motivação dos alunos e a distância da família no dia a dia escolar dos filhos também foram citados pelos representantes da escola.

Embora enfrente problemas, o coordenador pedagógico do curso de eletrotécnica, Mateus Felipe Barreto, destacou que a escola possui um índice bom de alunos que ingressam nas universidades e escolas técnicas superiores sem passar por cursinhos vestibulares.


Parcerias

Diante das dificuldades, o professor Dorival alertou para a necessidade de boas parcerias, com a finalidade de melhorar a formação profissional dos estudantes da Arnulpho Mattos. “Para fazer um bom profissional, precisamos entender o que o mercado e a indústria querem. Muitas escolas aqui do Espírito Santo oferecem o curso técnico, mas têm um currículo defasado. Ele já nasce morto”, sentenciou.

Para Sergio Majeski, a escola oferece formação de qualidade para os estudantes, mesmo que muito deles não continuem seus estudos nos níveis superiores. O deputado falou da importância do Executivo para fechar as parcerias. “Podemos ajudar a encaminhar isso. Mas, se o governo se interessasse ou se a Secretaria de Ciência e Tecnologia entrasse nessa parceria, seria infinitamente mais fácil, uma vez que o Governo já tem empresas que trabalham e prestam serviços para ele e poderiam ser parceiros”, disse.

Assessoria de Imprensa Fiorella Gomes

#ArnulphoMattos #Comissões #ciênciaetecnologia #Educação #Vitória

Especiais

Clipping

Deputado Sergio Majeski
Avenida Américo Buaiz, 205, Gab. 602
Enseada do Suá, Vitória | Espírito Santo | Brasil
29.050-950

Telefone: 27 3382-3582
E-mail: sergiomajeski@al.es.gov.br

Contato

© Sergio Majeski 

Todo o nosso material é livre para compartilhamento, reprodução e divulgação, desde que seja citada a fonte: sergiomajeski.com.br

Planejamento Estratégico, Site, Planejamento Digital  - Thaís Aguiar

Política de privacidade

  • whatsapp_edited
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram